domingo, 14 de agosto de 2016

14. a velha história do lugar certo na hora errada

quando eu tinha uns 16 anos, por aí, esse cara apareceu na minha vida. a gente se conheceu numa situação bem específica, se não fosse aquele passeio os nossos caminhos provavelmente não teriam se cruzado, mas na hora isso não me pareceu importante. quando voltei pra casa naquele dia, ter conhecido o menino era um fato irrelevante. caso ele não estivesse no mesmo lugar que eu, não faria nenhuma diferença. 

mas depois a gente começou a conversar e rapidinho nós viramos amigos. o menino era uns anos mais velho que eu e era legal conversar com ele, porque era diferente. ele não fazia parte do meu convívio, então tudo que eu falava pra ele ou que ele falava pra mim era novidade. eu gostava de conversar com ele, de ter amizade com alguém "de fora", que não fosse parte do meu dia a dia. 

e era só isso mesmo, uma amizade bobinha de internet. a gente só se viu essa única vez, bem aleatoriamente. morávamos longe, não tínhamos quase nada em comum pra justificar um encontro, enfim, nossa relação consistia em falar bobagem e dar risada. até que ele começou a me tratar diferente, com aquele jeitinho de quem quer algo a mais. o problema é que eu namorava na época e não tinha nem um pingo de interesse nisso, pra mim a gente era só amigo e pronto. nessa dele querer ir além e receber um belo de um chega pra lá, a gente parou de conversar.

eu fiquei com uma sensação esquisita quando a gente parou de se falar. sentia falta dele, de conversar com ele. sabia que a melhor coisa era ficar longe mesmo, que não fazia sentido insistir nessa amizade que, afinal de contas, não fazia sentido por si só. mas depois ele reapareceu, a gente voltou a conversar e me deu um quentinho no coração. era bom ter ele ali, do outro lado da tela, pra ler as bobagens que eu falava.

aí eu terminei meu namoro e então, quando alguma coisa entre nós dois talvez pudesse acontecer, já não podia mais. quem tava namorando nessa época era ele. bom, não é como se eu tivesse pensado "agora vai!" e tivesse ficado na bad porque não dava pra ir, foi só um "poxa, talvez fosse legal se rolasse". nessa época a gente conversava ainda e rolou um diálogo que me marcou bastante, porque mexeu comigo de um jeito inesperado.

quando ele contou que, anos antes, ele queria algo a mais porque gostava mesmo de mim, eu fiquei sem reação. pensei que fosse simplesmente "a menina é legal, a gente dá umas risadas quando conversa, acho que seria bacana dar uns beijos". em momento algum me passou pela cabeça que tinha um sentimento por trás daquilo. hoje em dia eu nem lembro mais o que foi que eu respondi, provavelmente falei meia dúzia de coisas que não fossem comprometedoras pra encerrar o assunto de um jeito não tão ruim e aí a gente se afastou de vez. a quantidade de vezes que eu reli a mensagem dele me contando tudo aquilo é tão grande que chega a ser ridícula. o tanto que essa história mexeu comigo naquela época não tá escrito. o menino não saía mais da minha cabeça, eu não conseguia parar de pensar no quanto poderia ter dado certo caso a gente tivesse tido a change. até que isso passou e eu não pensei mais sobre o assunto.

tinha tudo pra ser, mas não foi. não era pra ter sido. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário