sábado, 29 de junho de 2019

livrinhos de junho

pra acompanhar os posts anteriores, é só clicar aqui 😄


◇ ◇ ◇


As crônicas de Nárnia - C. S. Lewis (1950-1956)


demorei 1 mês pra ler, intercalei com outros livros no meio pra conseguir descansar desse monstro de 740 páginas, mas gostei bastante da experiência! essa versão única é meio complicada, porque ler todas as crônicas seguidas é enjoativo. chega uma hora que você simplesmente precisa fazer uma pausa, senão não dá vontade de continuar. mas tirando isso - e o peso do livro -, eu adorei. o universo de nárnia é show de bola, as personagens são ótimas e as histórias são todas cheias de aventura, é bem fantasioso e bem divertido de ler ("a cadeira de prata" foi a minha preferida, o brejeiro é um personagem incrível). aí chega no final do livro e você fica tipo "MEU DEUS O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI" hahah é muito legal, se você nunca leu: faça isso!! (mas é preciso dizer que o livro é basicamente uma alegoria cristã e aslam é tipo jesus cristo, o bicho até ressuscita né. mas enfim..... ignorei 100% esse lado da história pq sinceramente não tenho interesse algum e foquei apenas na diversão ^^)


Depois de Auschwitz - Eva Schloss (2013)


esse aqui é o relato de uma sobrevivente do holocausto, então é daqueles livros que logo de cara já dá uma embrulhada no estômago e enche o olho da gente de lágrima. eu gosto bastante desse tipo de leitura, é um registro autobiográfico que intercala as memórias horríveis com outras felizes e mais leves pra gente conseguir dar uma respirada, e também tem uma mensagem positiva no final, mas sem desconsiderar as atrocidades que aquelas pessoas cometeram e sem esconder as consequências negativas que o holocausto trouxe pra vida de quem passou por ele. enfim, não é nada extraordinário, mas é uma leitura bem bacana e vale super a pena pra quem se interessa por essa temática. a minha única ressalva é que, no meu ponto de vista, a autora perdeu mais páginas do que devia falando sobre a relação dela com a anne frank. não que isso tenha estragado o livro de alguma forma, é só porque eu sinceramente achei que não precisava. 


Sing, unburied, sing - Jesmyn Ward (2017)


✩ favorito do mês! ✩
esse livro deveria ter sido leitura obrigatória pra uma matéria que eu fiz na faculdade, só que no último minuto a professora trocou pelo fire on the mountain - terry bisson (falei dele aqui) e deixou esse só como recomendação. eis que resolvi dar uma chance pra esse bonitinho e: MEUS AMIGOS, QUE LIVRO É ESSE?????? é muito bom!!!!!!! a história gira em torno de uma família negra e pobre dos eua e fala sobre relacionamentos amorosos e familiares, violência, racismo, morte e ainda tem uma coisa meio mística ali no meio. aliás, por causa da temática, lembra um pouco o beloved - toni morrison (falei dele aqui). eu achei incrível porque a autora intercala diversos pontos de vista na narrativa e dá pra ver claramente a diferença na escrita dela quando rola essa mudança, é muito bem feito. e o livro trata desses assuntos de uma forma muito crua, não tem romantização. é triste, é pesado e é absolutamente bonito. entrou pra minha lista de melhores livros que já li na vida, com certeza ♡ é uma pena que não tenha uma edição em português, mas se você consegue ler em inglês pelo amor da deusa LEIA PRA ONTEM!!! 


Terra das mulheres - Charlotte Perkins Gilman (1915)


puta merda que livro chato. charlotte mirou na utopia feminista e acertou no "afff, não aguento mais essa história, cadê o fim que nunca chega???". aliás eu só não larguei porque, apesar de não estar gostando, eu queria saber como terminava. e o final também é meia boca, infelizmente não deu pra salvar não. basicamente a história é um culto à maternidade, uma coisa bem datada mesmo. sem contar que as personagens masculinas são insuportáveis e a história se dá sob o ponto de vista deles, o que não ajuda em nada (os caras saem numa expedição pra ir atrás desse país onde só existem mulheres e blablabla). como ponto positivo, o livro realmente questiona o papel inferior da mulher e a estrutura patriarcal, então deve ter sido impactante na época em que ele foi lançado, mas hoje em dia já não faz mais muito sentido. não gostei, mas também não odiei. acho que valeu a leitura só pra dizer que li ¯\_(ツ)_/¯


O sol na cabeça - Geovani Martins (2018)


quando eu digo que literatura brasileira é bom pra cacete, é desse tipo de preciosidade que eu tô falando! esse aqui é um livro de contos, bem curtinho, de mais ou menos 100 páginas. daqueles pra gente ler de uma vez só e aplaudir de pé, de tão bom que é o conjunto da obra. as histórias não necessariamente se conversam, mas giram em torno dos mesmos temas. falam sobre a realidade das favelas, pobreza, drogas e violência. o que me deixou de coração quentinho é que cada conto tem um registro linguístico diferente e que é tudo muito verossímil, muito fácil de a gente se conectar e de conseguir enxergar aquelas situações acontecendo de verdade. o livro é forte, bota no dedo na ferida mesmo, mas é incrível e é lindo (de um jeito meio torto, mas é)! é uma leitura essencial, um livrinho pra gente reler de tempos em tempos e se emocionar tudo de novo.  


As cidades invisíveis - Italo Calvino (1972)


ai, gente, esse livro. eu nem sei o que dizer, só sentir. é meio difícil de explicar O QUE ele é, porque tá longe de ser convencional. mas basicamente tem dois personagens (marco polo e kublai khan, veja bem!!!) e a narrativa intercala uns poucos diálogos bem filosóficos entre esses dois e os relatos de viagem do marco polo, que descreve pro kublai as cidades que fazem parte do império que ele conquistou. grosso modo, é isso: descrições de cidades e meia dúzia de conversas entre os dois. só que o livro é muito mais do que isso, apesar de ser IMPOSSÍVEL de colocar em palavras. é tudo tão lindo! vale muito a leitura, o bichinho é bem diferente e é enriquecedor mesmo. fiquei absurdamente feliz de ter terminado o mês com essa belezinha ♡

◇ ◇ ◇

em números, resumão do mês:

 livros terminados 6 x 0 livros abandonados

 literatura brasileira 1 x 5 literatura estrangeira (1 da irlanda, 1 da austria, 2 dos eua e 1 da itália)

 livros lidos no kindle 5 x 1 livros físicos

 autoras mulheres 3 x 3 autores homens

 releituras 0 x 6 livros novos

sexta-feira, 31 de maio de 2019

livrinhos de maio

pra acompanhar os posts anteriores, é só clicar aqui 😄


◇ ◇ ◇


Tupinilândia - Samir Machado de Machado (2018)


✩ favorito do mês! ✩
resumindo esse livro em uma única palavra, eu diria que ele é "megalomaníaco". a história se passa em 2 épocas diferentes, uma metade se dá nos anos 80 e a outra em 2016, e gira em torno desse parque temático/cidade chamado tupinilândia (que é uma mistura da disney com fordlândia, a cidade que o henry ford construiu no pará na década de 1920). ao mesmo tempo em que ele é uma aventura com uma vibe meio indiana jones - um dos personagens principais é um professor de arqueologia -, também é uma baita discussão política (fogo nos fascistas!!!!) e ainda tem um toque de texto jornalístico investigativo, SEI LÁ. sem contar que o livro é imenso, tem quase 500 páginas. eu gostei bastante! achei que a discussão é pertinente ao momento político que a gente tá vivendo, que o livro escancara umas verdades e expõe a loucura que é o brasil, mas também achei um pouco too much. acho que dava pra reduzir, pra deixar mais enxuto. mas aí acho que acabaria fugindo da proposta... resumindo: o livro é bom, mas por ser assim tão "grandioso" eu não recomendo pra todo mundo. se você simplesmente quiser ler uma aventura divertida, esse aqui não é o livro certo - ele é complexo demais. mas se você tiver afim de algo mais crítico, aí vai fundo que além da discussão séria ainda tem a parte divertida junto!


13 segundos - Bel Rodrigues (2018)


puts, esse livro... bel rodrigues por que me matastes??? esse foi um dos únicos YA na vida que me deu a sensação de ser jovem demais pra mim. principalmente nos diálogos, achei que forçou a barra e não me pareceu natural. ao mesmo tempo, tem um monte de palavrão, cenas de sexo e revenge porn. parece que não orna muito bem uma coisa com a outra, sei lá. eu não consegui me conectar com as personagens e acabei nem gostando do livro, mas reconheço o valor dele pra meninas adolescentes. não recomendo a leitura, é bem fraquinho mesmo, mas se você for uma mocinha de 14-16 anos pode ser que você goste. ^^


Praia de Manhattan - Jennifer Egan (2017)


conheci esse livro num post sobre literatura do valkirias.com.br, me interessei por ser uma narrativa diferente sobre a segunda guerra e, pra fechar o combo, ainda fiquei intrigada com a capa. por mais que eu até tenha gostado da história e tenha achado interessante de verdade a ambientação do livro naquela atmosfera peculiar dos eua, ele é MUITO chato. o ritmo é lento, o final não conclui nada (achei bem fuén) e foram páginas e mais páginas acompanhando uns personagens meio aleatórios naufragados, perdidos por vários dias no meio do mar. um saco. foi meio decepcionante porque eu senti que o livro tinha um potencial grande pra ser melhor, mas no fim das contas foi bem mais ou menos. a personagem principal é uma mulher de 20 anos que se torna a primeira mergulhadora da marinha americana, sabe????? eu tava esperando mais. não é ruim e eu não me arrependo de ter lido, mas também não sei se recomendo. é válido pra quem quer uma narrativa não convencional sobre esse período, mas tem que pegar pra ler sabendo que ele promete mais do que cumpre.


◇ ◇ ◇

em números, resumão do mês:

 livros terminados 3 x 0 livros abandonados

 literatura brasileira 2 x 1 literatura estrangeira (1 dos eua)

 livros lidos no kindle 1 x 2 livros físicos

 autoras mulheres 2 x 1 autores homens

 releituras 0 x 3 livros novos

◇ ◇ ◇

parece que esse mês eu li pouquinho, né? mas na real eu li coisa pra caramba. só esses três aí em cima têm, juntos, umas mil páginas. eu também comecei mais dois livrinhos, mas fiquei doente nesses últimos dias e não consegui terminar nenhum deles :( espero ter mais sucesso no próximo mês! hahah

domingo, 5 de maio de 2019

nuvenzinha preta

vira e mexe eu perco a motivação pra escrever por aqui.

isso já aconteceu por n motivos, desde eu achar que ninguém tá interessado em ler (como se isso fizesse alguma diferença pra alguém que nem eu, que nem tem público hahaha) até eu ficar com a maior ressaca possível depois de um beda e não querer nem chegar perto desse site.

dessa vez a questão é outra: eu tô meio bad vibes e não quero contribuir com coisa ruim, porque o mundo já tá pesado demais. então se eu não vou conseguir escrever algo legal - nem que seja contando alguma coisa aleatória que aconteceu comigo -, prefiro nem me dar ao trabalho.

a internet tá recheada de negatividade, a gente mal consegue passar 5 minutos em qualquer rede social ou portal de notícia sem ler alguma coisa ruim, pra deixar a gente doido de raiva, ou então algum relato triste que dá vontade de chorar e faz a nossa fé na humanidade diminuir um pouquinho. e, nesse momentinho em particular da minha vida, o que eu menos quero é aumentar essa carga negativa.

várias vezes durante esse meu sumiço eu pensei "poxa, legal isso aqui, dá pra escrever sobre!", aí na hora de efetivamente transformar a ideia em texto eu perdia a motivação. depois de um tempinho sem praticar, parece que a gente já não consegue mais saber direito nem por onde começar... aí eu acabava desistindo. tenho uns 937 rascunhos salvos de ideias que algum dia talvez quem sabe por um milagre eu transforme em post (jout jout disse num vídeo esses dias sobre "vídeos bons que existem só na cabeça dos youtubers, mas que ficam ruins na hora de gravar". pois eu tenho vários posts assim!). 

mas o que mais me aconteceu nesse meio tempo foi eu ficar com vontade de usar esse meu espacinho 100% pessoal pra falar mal de alguém, ou reclamar de alguma situação, ou simplesmente fazer um desabafo que sinceramente não ia servir pra nada além de fazer crescer a quantidade já enorme de texto sem qualidade e cheio de sentimento ruim que tá sendo espalhado por aí nos últimos tempos.

ainda bem que eu inventei de aparecer aqui uma vez por mês pra falar sobre livros. assim esse espaço não morre (eu gosto tanto dele!) e eu ainda consigo recomendar umas leituras show de bola pra alguém que por ventura ainda apareça por aqui às vezes. 

eu tô tentando vencer essa nuvem preta que tá me rondando, mas por aqui a gente funciona meio devagar, a caminhada é na base dos baby steps, então a coisa é meio demorada. o que importa é que uma hora a gente chega lá! assim que eu conseguir, eu volto. ;)

quinta-feira, 2 de maio de 2019

livrinhos de abril

pra acompanhar os posts anteriores, é só clicar aqui 😄


◇ ◇ ◇


O nome da rosa - Umberto Eco (1980) 


coloquei esse aqui na minha lista de 12 livros pra ler em 2019 e juro que eu não fazia a menor ideia da história, só sabia que tinha a ver com igreja e que era um desses livros que todo mundo tem que ler uma vez na vida. no fim das contas eu meio que gostei, meio que odiei. gostei porque o mistério que impulsiona a história é legal de verdade e eu queria mesmo saber o que tava acontecendo na abadia, mas odiei porque deus me livre e guarde ficar lendo páginas e páginas sobre discussão filosófica/religiosa. inclusive pulei a maioria, porque simplesmente Sem Tempo, Irmão™. sei lá... acho que no fim das contas eu teria preferido ver o filme???? mas o livro não é ruim não, só num funcionou direito pra mim porque não me interesso pelo tema mesmo. ¯\_(ツ)_/¯


Jogos vorazes - Suzanne Collins (2008)


li esses livros assim que eles chegaram aqui no brasil, lá em 2010, e fiquei alucinada com essa história. li os 3 em uma semana, não consegui largar até terminar tudo. agora, quase 10 anos depois, resolvi reler. tava com medo de não achar tão bom, porém simplesmente amei tudo de novo. aff, é incrível acompanhar a loucura desse universo distópico pelo ponto de vista da katniss!!! ela é uma personagem forte, determinada, dona de si. acho maravilhoso que as adolescentes tenham essa referência, de verdade. o livro é muito bom, é cheio de ação, mas também aborda questões políticas, relações familiares e de amizade e tem uma baita quantidade de romance - afinal de contas a personagem principal tem 16 anos e o livro é feito pro público YA, né? mas a autora conseguiu fazer tudo se encaixar e ficar verossímil, bem amarradinho. nem o romance no meio da "guerra" nem o triângulo amoroso parecem forçados, é show de bola. terminei de ler o primeiro volume apaixonada pela série, querendo começar o segundo livro instantaneamente. que delícia essa sensação de reler um livro e continuar gostando tanto quanto da primeira vez!


Em chamas - Suzanne Collins (2009)



✩ favorito do mês! ✩
assim como aconteceu da primeira vez que eu li, em chamas foi eleito novamente o meu preferido da série. é a continuação PERFEITA!!! no primeiro livro a gente conhece as personagens e a realidade delas, que é repleta de injustiça e violência, e acaba se envolvendo tanto com a história que não há outra possibilidade além de chegarmos na leitura desse aqui com sangue no zóio, querendo pegar em armas e começar a revolução junto com os rebeldes!!! sério, eu sentia uma urgência quase física de >entrar naquelas páginas< e ajudar a derrubar o governo, veja bem hahaha dentre os três, acho que esse aqui é o que tem o gosto mais amargo, porque as personagens se veem obrigadas a passar por um monte de desgraça quando supostamente elas deveriam estar seguras. é um livro xóvem, mas é pesado e intenso, bem do jeitinho que eu gosto ♡


A esperança - Suzanne Collins (2010)


continuando as comparações com a primeira vez que eu li: gostei mais agora do que antes! o começo do livro é mais lento, então me cansou um pouco, e eu apenas odiei o epílogo, mas o miolo é muito bom. as personagens evoluem muito, lidam com vários problemas externos e com as consequências emocionais e psicológicas disso, reflem várias vezes sobre justiça e sobre o que é certo ou errado e precisam tomar decisões difíceis o tempo todo. e os rebeldes ganham a guerra, o que por si só já acende uma faísca dentro do coração da gente. essa trilogia é MARAVILHOSA, eu recomendo 100% tanto pra quem nunca fez a leitura, quanto pra quem já leu quando era adolescente. a experiência da releitura foi a mais positiva possível, fiquei muito feliz ♡ AH, eu não poderia deixar de dizer: continuo preferindo mil vezes o gale e eu definitivamente teria optado por ele (inclusive seria este o meu maior crush literário??? acredito que sim), mas agora eu entendo a escolha da katniss - apesar de o epílogo ser realmente bem ruinzinho.


◇ ◇ ◇


em números, resumão do mês:

 livros terminados 4 x 0 livros abandonados

 literatura brasileira 0 x 4 literatura estrangeira (1 da italia e 3 dos eua)

 livros lidos no kindle 1 x 3 livros físicos

 autoras mulheres 1 x 1 autores homens (isso é que dá ler uma série toda de uma vez só...)

 releituras 3 x 1 livros novos

domingo, 31 de março de 2019

livrinhos de março

pra acompanhar os posts anteriores, é só clicar aqui 😄


◇ ◇ ◇

Jurassic Park - Michael Crichton (1990)



vi em algum lugar que o final do livro não era bom, então fiquei ressabiada e enrolei com ele na estante por uns dois anos, até que finalmente criei vergonha na cara e li. e eu não podia ter amado mais!!!!!! <3 a história é aquela que a gente já conhece, mas é contada de um jeito incrível! só não digo que é sem defeitos porque: 1) a personagem feminina (basicamente a única) é tratada de forma BEM sexista, 2) o autor criou uma das personagens mais chatas da história da literatura (uma criança insuportável que só atrapalhava tudo), 3) o personagem que tava à beira da morte ficava filosofando de uma forma 100% inverossímil, mas tirando isso eu não tenho do que reclamar. eu amei a história em si, mas o que eu mais gostei foi a forma como ela se desenvolve e vai sendo construída. e no fim das contas achei que o final foi bom sim, já que "resolveu" aquele problema e ao mesmo tempo deu margem pra uma continuação. ah, não posso comparar com o filme porque eu só vi uma vez, aos 8 anos, e MORRI de medo kk então não sei dizer se é igual, melhor ou pior. mas o livro é bem bom de verdade, quero ler o próximo!!


Assassinato no campo de golfe - Agatha Christie (1923)


como tudo na vida é um equilíbrio, depois daquele livro show de bola veio esse aqui que eu simplesmente achei uó. fico com a impressão de que eu já li os melhores da agatha, então agora tá sendo só ladeira abaixo. nesse aqui a história não é tão legal, as relações amorosas são esquisitíssimas, o poirot (que é o detetive famoso que investiga os crimes em vários livros dela) tá especialmente chato, o narrador também não ajuda... enfim. não gostei, inclusive só terminei porque a leitura é rápida, mas sinceramente tava tão meia boca que eu sequer tava interessada em saber a resolução do crime!!! 😴


Tudo o que nunca contei - Celeste Ng (2014)


✩ favorito do mês! ✩
esse livro é facilmente um dos mais tristes que eu já li na minha vida, se não for o número 1. basicamente ele aborda as relações de uma família conturbada, que são recheadas de expectativas, anseios, angústias, traumas e frustrações. a história se passa nos anos 70 e gira em torno da morte da filha de um casal inter-racial, sendo que a miscigenação não era bem vista na época e isso serve de pano de fundo pra várias das coisas ruins que acontecem. além disso, o livro também trata do sentimento de não pertencer a lugar nenhum, da falta e do excesso de atenção e afeto, da dificuldade de se impor e dizer não pros outros... ai, tem tanta coisa!! é tudo tão sensível e tão bonito que esse com certeza se tornou um dos meus livros preferidos! mas vale dizer que, justamente por ele abordar esse monte de assunto pesado, eu não recomendo pra todo mundo. acho que ele pode ser um gatilho dependendo do que você tá passando. se você tiver num momento ruim, fica longe desse bonitinho, porque ele tem capacidade pra te deixar muito pra baixo e isso não é legal. (só pra ilustrar: em uma das cenas da hannah, que é de longe a minha personagem favorita, eu fiquei TÃO triste e me deu tanta vontade de chorar - mas eu tava em público, então segurei as lágrimas - que fiquei com dor de cabeça por horas depois. é um soco no estômago atrás do outro!)


Prisioneiras - Drauzio Varella (2017)


drauzio é possivelmente a minha pessoa favorita no brasil, sou 100% fã, inclusive leio os livros dele desde criança. essa trilogia sobre o sistema carcerário deveria ser leitura obrigatória pra todos os brasileiros, entrar em contato com a realidade dessas pessoas é essencial pra gente conseguir enxergar tudo isso com mais humanidade (que é o que tá faltando pra galera do "bandido bom é bandido morto, tá com dó leva pra casa"). esse é o 3º volume da série e, como o nome indica, tem como tema as detentas do presídio feminino aqui de sp. a escrita do drauzio é incrível, você devora o livro e nem percebe que tá há 3h lendo sobre crimes e facções. conhecer as histórias dessas prisioneiras faz a gente pensar e colocar as coisas em perspectiva. é bem orange is the new black, só que com o agravante de ser tudo na vida real. e, sinceramente, o livro também fomentou a raiva que eu sinto de homens e dessa sociedade patriarcal maldita ^^ minha única ressalva é que, no meu ponto de vista, dava pra focar mais nas mulheres e, consequentemente, perder menos tempo falando sobre o carandiru (afinal de contas já existe um livro só pra ele), mas eu entendo as razões pra que ele tenha optado por falar tanto dos prisioneiros e do crime organizado fora do presídio feminino, então tudo bem. enfim, só leiam <3 (ah, só a título de curiosidade: ele conta a história de 3 prisioneiras que são do meu bairro kkkk ai ai, não tenho nem palavras pra periferia de sp....)  


Mauricio: a história que não está no gibi - Mauricio de Sousa (2017)



eita livrinho gostoso de ler!! autobiografias são incríveis, principalmente no caso de pessoas que nem esse homem, com um zilhão de histórias pra contar. aliás, se é que isso é possível, eu amo ainda mais a turma da mônica depois de ler isso aqui <3 mauricio deu muita cabeçada até chegar onde ele tá hoje e ele não esconde os pontos em que errou. aliás, achei muito reconfortante ver um homem da idade dele (vcs sabiam que mauricio nasceu em 1935?????) falando de forma tão leve sobre as coisas pelas quais ele passou e, principalmente, se reinventando até hoje, sem ficar insistindo nessa bobagem de "antigamente tudo era melhor", mostrando pras pessoas como é importante não ficar estagnado e acompanhar as mudanças que vão acontecendo. o livro é bem bom e a história do mauricio é 10/10, recomendo bastante! mas como nem tudo são flores, vou expor aqui uma coisa que me deixou MAL: mauricio teve um filho fora do casamento aos 63 anos de idade. e ainda teve a pachorra de escrever que "isso me custou uma crise no casamento". PORRA, MAURICIO. dá vontade de meter um socão na cara dum velho safado desse, né não? ^^

◇ ◇ ◇

em números, resumão do mês:

 livros terminados 5 x 0 livros abandonados

 literatura brasileira 2 x 3 literatura estrangeira (1 da inglaterra e 2 dos eua)

 livros lidos no kindle 3 x 2 livros físicos

 autoras mulheres 2 x 3 autores homens

 releituras 0 x 5 livros novos

sábado, 16 de março de 2019

olha a chuva, (não) é mentira!

em pleno mês de março, meu ilustríssimo boy e eu achamos de bom tom antecipar a festa junina (aliás, acho um absurdo que esse evento maravilhoso só ocorra no meio do ano já que claramente deveria acontecer o ano inteiro).

pra falar a verdade, o que aconteceu é que nós fomos convidados pra um aniversário que seria uma festa a fantasia. a princípio eu queria ir fantasiada de algum personagem, mas nós não tivemos muito tempo hábil pra ir atrás de um look decente. como ideia de última hora, sugeri irmos com roupa de festa junina, bem casalzinho caipira mesmo. isso porque camisa xadrez todo mundo tem em casa, então dava pra se virar com o que a gente já tinha.

mas pra realmente ficar com cara de carnaval (afinal de contas, a ideia da festa era essa), a gente precisava incrementar as fantasias. saímos de tarde no dia da festa pra ir atrás de alguns ~detalhes. a princípio, um chapéu de palha pro boy, uns glitters pra mim e o que mais nós encontrássemos na hora. fomos até uma rua num bairro próximo ao nosso que é quase uma prima menorzinha da 25 de março: muita loja vendendo tranqueirinha por um preço ok, barraca pra cima e pra baixo, dá pra encontrar de tudo etc etc.

assim que entramos na primeira lojinha, o boy teve uma ideia: por que não irmos de noivinhos de festa junina?????? era um conceito tão brega que eu achei PERFEITO, aceitei na hora.

sendo assim, o que nós compramos: pro look do boy, o chapéu de palha, um girassol pra colocar na camisa, um suspensório e uma gravata borboleta. tudo muito chique (a gravata foi CINCO REAIS, veja bem a qualidade). pra mim, uma tiara de flores com um véu atrás, um mini buquê de flores de plástico e os glitters.

vê só se a gente não ficou a coisa mais lindica do mundo:


mas quem vê esses dois belos rostinhos bem plenos sequer imagina o perrengue que a gente passou até chegar aí.

saímos de casa pra ir atrás das coisas umas 15h30, 16h. tava um baita sol, mas a previsão era de chuva. supostamente isso não seria um problema, porque nossa intenção era comprar as coisas rapidinho e estar em casa de volta antes das 18h, já que a festa começava as 20h e o boy ainda queria dormir antes de irmos hahaha pois bem. umas 17h30 +- nós já tínhamos comprado tudo, estávamos na rua indo até o carro e de repente começou a cair uma TEMPESTADE. não era uma chuva normal, era uma coisa DE LOUCO. entramos numa loja pra esperar a água dar uma trégua antes de continuar o nosso percurso, só que acabamos ficando presos lá por um tempão porque a chuva simplesmente não passava.

depois de uns 40 minutos na loja a gente já tava de saco cheio e resolveu que tudo bem se molhar um pouco, porque o carro tava pertinho dali. a chuva diminuiu, criamos coragem e saímos correndo. depois de andar uns 300m, a gente teve que parar de novo porque descobrimos que ESTAVA TUDO ALAGADO E NÃO DAVA PRA GENTE CHEGAR ATÉ O CARRO hahahahaha

rolou um misto de ficar sem reação, rir de desespero e querer ligar pro meu pai pedindo socorro. até que nós vimos uma possível solução. percebemos que as pessoas que também queriam ir pro mesmo lado que a gente estavam cruzando uma avenida e dando uma volta doida pra chegar. era um caminho bem absurdo, mas era o que dava pra fazer. sendo assim, resolvemos seguir os passos dessa galera. só que nesse meio tempo a chuva não apenas se transformou novamente numa tempestade, como também começaram a cair MUITOS RAIOS bem próximos dali. tivemos que voltar correndo, porque seria muito perigoso continuar em frente no meio da trovoada, então entramos em outra loja pra esperar de novo hahahahaha

enquanto estávamos lá, o boy conseguiu pensar em outro caminho pra gente fazer, dando mais volta ainda do que aquele que nós havíamos tentado antes dos raios (sendo que pra nós chegarmos até o lugar onde o carro estava era simplesmente >atravessar uma rua<, mas ela tinha se transformado num rio). ainda tinha os relâmpagos, mas a chuva voltou a diminuir, então resolvemos que dava pra encarar - até porque a gente já tava nessa jornada há 50 minutos, nenhum dos dois aguentava mais ficar ali. demos a maior volta do mundo, inclusive entramos num terminal de ônibus só pra conseguir contornar o alagamento, até que finalmente chegamos no carro. ensopados, sujos e irritados, mas finalmente estávamos lá.

aliás, consultei agora o nosso querido amigo google maps e descobri que no momento em que nós decidimos que já estava na hora de ir embora, às 17h30, nós estávamos a apenas 500m de distância do carro. é um percurso pra ser feito em menos de 10 minutos mesmo se você andar bem devagar, mas no fim das contas levamos uma hora pra conseguir chegar lá ^^

porém a história não termina aí. 

como eu disse, o nosso plano era estar em casa umas 18h, descansar, se arrumar e ir pra festa às 20h. a coisa toda já tinha desandado total porque só conseguimos pegar o carro depois das 18h30, mas tudo ficou muito pior quando percebemos que, justamente por causa dos alagamentos, não seria tão simples assim pra chegar em casa.

pra conseguir fugir da água, nós tivemos que mudar totalmente nosso caminho e nos afastar ainda mais de casa. fomos pra outro bairro (aliás, fomos até o bairro onde seria a festa!!!), demos a maior volta da história da humanidade, pegamos um trânsito que só por deus e então, duas horas depois, chegamos em casa. mortos de fome, cansados, ainda molhados da chuva e querendo jogar tudo pro alto.

saímos de casa às 22h30, mais de duas horas depois de a festa começar. mas até aí tudo bem, porque esse dia foi tão difícil que a própria dona da festa só chegou às 21h. ¯\_(ツ)_/¯

passamos um stress danado, mas no fim das contas ficamos tão bonitinhos que compensou. mas é claro que seria ainda melhor se depois de tudo isso nós fossemos agraciados pela antecipação da festa de são joão, né não? 

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

livrinhos de fevereiro

pra acompanhar os posts anteriores, é só clicar aqui 😄


◇ ◇ ◇

Primeiras estórias - Guimarães Rosa (1962)


vocês ficam intimidados com guimarães? pois eu sim. tanto é que tenho esse livro há anos, mas só agora criei coragem pra ler. é difícil, é confuso, nem sempre dá pra entender onde o autor quer chegar, mas também é tão bonito! esse é um livro de contos, são mais de 20 histórias que têm mais ou menos o mesmo tom e se passam mais ou menos no mesmo ambiente (nem todas, mas a maioria). algumas eu amei (tipo "a menina de lá", "pirlimpsiquice" e "a partida do audaz navegante" - na verdade, eu gostei bastante de todos que tinham crianças haha), outras eu não via a hora de terminar logo porque achei uó ("darandina" foi sofrido de ler). eu não morro de amores por guimarães, porque não acho prazeroso passar metade do tempo tentando entender o que tá escrito.... mas é um autor que a gente precisa ler, simplesmente porque sim. enriquece nosso repertório e faz a gente enxergar a literatura de uma forma diferente também. enfim, eu recomendo a leitura, desde que você vá preparado pra passar por um perrengue, porque fácil não é! hahah


As vantagens de ser invisível - Stephen Chbosky (1999)


li esse livro há anos, antes de virar filme, e lembro que gostei bastante. dessa vez a experiência também foi muito positiva, já que eu tinha as cenas do filme na cabeça pra me ajudar a ilustrar a história. é bem bom, daqueles livros que a gente não consegue parar de ler e se envolve com as personagens desde o início. eu só não considero cinco estrelas porque, justamente por ser contado da perspectiva do charlie, fica tudo meio "superficial". acho que eu gostaria um pouco mais se os assuntos abordados (estupro, violência, homofobia...) fossem discutidos de verdade, não apenas simplesmente citados. mas não acho que isso estrague a experiência do livro, inclusive acho mesmo que ele é muito bom dentro da sua proposta. e "we accept the love we think we deserve" é uma das minhas frases preferidas da vida <3 


Admirável mundo novo - Aldous Huxley (1932)


comecei a ler com um pé atrás, porque vi que muita gente não gostou, e realmente o começo do livro é chatíssimo!!! a gente já cai de cara numa enxurrada de explicações técnicas sobre as tecnologias da época sem nem saber qual era o contexto daquilo tudo, achei uó. depois as coisas vão melhorando, a história começa a se desenrolar e tudo faz um pouco mais de sentido. até que de repente tudo simplesmente degringola e fica absolutamente sem pé nem cabeça hahahaha o livro discute coisas interessantes (o que eu mais gostei foi a questão de que a ciência só interessa até certo ponto), mas o autor escolheu um caminho TÃO bizarro que eu fiquei desacreditada hahaha pontos positivos: é mais um dos clássicos que eu posso riscar da lista de livros a serem lidos; a leitura é fácil e flui super bem. pontos negativos: nunca me senti tão WTF??? em toda a minha vida, parece que o autor tava sob o uso de entorpecentes????; é esquisito e meio brega e às vezes você se pergunta se tá mesmo entendendo certo, de tão absurda que a coisa fica ^^ mas leiam, mores. acho que vale a pena, no fim das contas hahaha


Os dois mundos de Astrid Jones (2012)


gostei da capa, vi elogios à autora e quis ler mesmo sem saber qual era a história (como sempre ^^), e apenas amei. li em dois dias, achei super gostosinho!! é um YA bem do jeitinho que eu gosto: a leitura é super fluida, as personagens são ótimas, discute questões importantes e não dá vontade de parar de ler. esse aqui se passa numa cidadezinha interiorana nos EUA, onde as pessoas são intolerantes, preconceituosas e fofoqueiras. a personagem principal, a astrid, não se adapta bem ao estilo de vida da cidade, tem problemas com a família e tá no meio de uma caminhada meio tortuosa de autoconhecimento. é super divertido, mas me deixou bem triste em alguns momentos. a lição que fica é que todo mundo merece amar e ser feliz, basicamente. é bem fofinho <3 (ah, tem romance LGBT!! e o nome original é "ask the passengers", que eu particularmente achei bem melhor...)


A guerra que salvou a minha vida - Kimberly Brubaker Bradley (2015)


✩ favorito do mês! ✩
esse livro é uma preciosidade, acho que não tenho como definir de outra forma. bem resumidamente, aqui a gente acompanha a história da ada, uma menina que nasce com um problema físico e, por conta disso, tem a vida prejudicada. os eventos se passam na segunda guerra mundial, então esse é o pano de fundo dos acontecimentos, mas o foco é o desenvolvimento dessa personagem. é bonito, é triste, é pesado, é forte, enfim. é um baita livraço, achei bem especial e não vejo a hora de ler a continuação. recomendo mesmo, acho que todo mundo merecia se dar essa leitura de presente ♡


O corcunda de Notre Dame - Victor Hugo (1831)


esse aqui é o maior "quem vê cara não vê coração", sinceramente... olha essa capa lindíssima!!! mas o conteúdo, vejam bem: foi escrito no século 19, mas a história se passa no final da idade média, lá no século 15, então é claro que tem muita coisa bizarra acontecendo nesse livro. tem tortura, preconceito, xenofobia, tentativa de estupro, uns conceitos absurdos de amor romântico, machismo e posse. é bem preocupante, digamos assim. sem contar que o autor passa páginas e mais páginas falando sobre arquitetura (pulei tudo, não sou obrigada ^^) e faz várias divagações totalmente fora da história, o que faz com que o livro tenha mais de 600 páginas (!) sendo que poderia facilmente ter 200 e olhe lá! eu nem sei porque não larguei o livro, acho que pra fazer valer a pena o dinheiro que gastei, sei lá, mas não gostei não (na verdade ainda não terminei, mas faltam menos de 100 páginas!! e como eu tô nesse bendito desde o dia 20, conta como leitura de fevereiro, vai? :P). agora fiquei com vontade de ver o filme da disney, que eu só assisti uma vez há mil anos. tomara que seja menos sofrido do que o livro!

◇ ◇ ◇


em números, resumão do mês:

 livros terminados 6 x 0 livros abandonados

 literatura brasileira 1 x 5 literatura estrangeira (1 da inglaterra, 1 da frança e 3 dos eua)

 livros lidos no kindle 3 x 3 livros físicos

 autoras mulheres 2 x 4 autores homens

 releituras 1 x 5 livros novos