quarta-feira, 11 de julho de 2018

tag dos 50% - 2018 edition

será se esta que vos fala transformou-se em blogueira literária, meus amigos????? 

a resposta é: não, obviamente não, muito difícil se comprometer dessa forma. mas tão bom livro, gente. quisera eu passar a vida toda lendo e falando groselha sobre esses livrinhos, porém infelizmente ainda não fui agraciada com tamanha alegria. quem sabe um dia...

ainda assim, venho aqui mais uma vez pra falar sobre livros porque isso é o que dá forças pra esse bloguinho sobreviver. e ainda por cima vou responder tag, que é pra facilitar ainda mais o meu trabalho (e pra manter pra mim mesma um registro mais detalhado das minhas leituras, pois acredito piamente que a pessoa mais interessada nessas respostas sou eu ¯\_(ツ)_/¯  hahahah)

vamos às famigeradas perguntas (lembrando que só entram os livros lidos até junho, os de julho eu não vou considerar na hora de responder):

1. O melhor livro que você leu até agora, em 2018.
beloved - toni morrison. não necessariamente foi o que eu mais amei, mas é de longe o livro mais bem escrito que eu li até agora (no ano e quiçá na vida, vejam bem). que delícia que é ler um romance que além de ter uma baita história também foi construído com tanto refinamento ♡

2. A melhor continuação que você leu até agora, em 2018.
já que essa foi a única continuação que eu li até então, serei obrigada a escolher o restaurante no fim do universo - douglas adams. tá longe de ser a melhor das continuações do mundo, mas é o que temos pra hoje hahaha

3. Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito.
a vida compartilhada em uma admirável órbita fechada - becky chambers. eu quase chorei de emoção quando encontrei esse bebezinho na livraria semana passada!!!! primeiro porque ele é mais ou menos a continuação de a longa viagem a um pequeno planeta hostil, que eu amei do fundo do coração, segundo porque ele é A COISA MAIS LINDA DA MINHA ESTANTE. pretendo ler ainda esse mês e já tô ansiosíssima! :D

4. O livro mais aguardado do segundo semestre.
eu não faço a menor das ideias porque realmente não acompanho os lançamentos, sou péssima nisso. se eu resolvesse mesmo virar blogueirinha literária esse seria um belo empecilho...

5. O livro que mais te decepcionou esse ano.
eu tive que pensar um pouquinho, porque confesso que queria escolher vários hahaha nem todos entrariam nessa categoria porque foram ruins, mas sim porque a bonita aqui criou muita expectativa em cima deles. porém o que mais me impactou foi frankenstein - mary shelley, que é um romanção inglês super clássico, cheio de enrolação, chatíssimo de ler, e eu comprei acreditando que seria um livro de terror. ninguém mandou não se informar antes, né? 

6. O livro que mais te surpreendeu esse ano.
rita lee: uma autobiografia, obviamente escrito pela rita lee, foi fácil a minha surpresa mais feliz do primeiro semestre! peguei pra ler porque mamãe leu, adorou e ficou falando que eu devia ler também, mas sequer cogitei gostar da leitura porque 1) eu não gosto de biografias e 2) eu nem sei se gosto da rita lee. só que o livro é uma delícia e dá vontade de ler tudo de uma vez só de tão legal que é :)

7. Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente).
seria apenas impossível escolher outra pessoa além da toni morrison. inclusive pretendo ler mais romances dela em breve!

8. A sua quedinha por personagem fictício mais recente.
esse semestre eu tô meio mals de crush literário (sdds levi de fangirl ♡), mas provavelmente quem mais me fez suspirar foi o tom, de a livraria dos finais felizes - katarina bivald. não sei se posso chamar de ~quedinha~, mas pelo menos uns beijo nele eu dava! hahaha

9. Seu personagem favorito mais recente.
eu não sou capaz de responder outra coisa além de: todos os personagens de a longa viagem a um pequeno planeta hostil!!!!!!! não vou me estender por aqui mas digo que: se eu pudesse me transportar pra dentro de um livro, provavelmente seria esse. ;)

10. Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre.
como eu já escolhi o beloved pra estrelar outra categoria, nessa aqui eu escolho the hate u give - angie thomas. livraço maravilhoso com gostinho de nó na garganta e soco no estômago! 👊

11. Um livro que te deixou feliz nesse primeiro semestre.
matilda - roald dahl por motivos de infanto-juvenil é sempre um acerto quando a gente quer terminar a leitura com um sorrisinho no rosto :)

12. Melhor adaptação cinematográfica de um livro que você assistiu até agora, em 2018.
eu posso estar enganada mas acho que não vi nenhuma... 

13. Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo).
pelo que eu vi, as pessoas respondem esse item com uma resenha feita por elas mesmas. sendo assim, minha única opção é escolher o post sobre a longa viagem a um pequeno planeta hostil porque foi o único que eu fiz ^^ (eu também falei sobre a aza, personagem do tartarugas até lá embaixo - john green, mas acho que não conta como resenha...)

14. O livro mais bonito que você comprou ou ganhou esse ano.
frankenstein, a longa viagem a um pequeno planeta hostil e a vida compartilhada em uma admirável órbita fechada são as maiores preciosidades da minha estante. todos são da darkside. seria essa a editora mais incrível de todas????


15. Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano?
gente do céu a minha lista de livrinhos pra ler esse ano ainda tá tão grande que dá até medo hahaha mas o que eu mais quero ler, tirando o da becky chambers que eu já falei lá em cima, é no seu pescoço - chimamanda ngozi adichie :)

e é isto, gentes. aliás, dá pra acreditar que de janeiro até junho eu li 29 livros?????? caraca, esse ano tá feliz d+ no quesito literário. que continue assim até dezembro!! 

terça-feira, 3 de julho de 2018

é hiperfoco que você quer, @?

esses dias o namorado veio me mostrar um vídeo da alice, sobrinha dele de 02 anos, dançando na festinha junina da escola. ele chegou todo pimpão me falando “duvido você adivinhar quem é a alice” e eu não entendi nada, porque claramente ela era a menininha da direita. aliás, ela era a única menina presente naquele vídeo... eu respondi algo como “nossa que difícil, quase nem percebi que ela tava aqui no canto da imagem haha” e ele, bem sério, disse “errou, não é essa”. eu fiquei “ué, o que que esse maluco tá falando? eu hein”. daí eu respondi “tá bom amorzinho, num é essa não, aham 👍”. e ele “é sério, não é. o cabelo dessa menina tá muito escuro pra ser a alice, tenta de novo”.

eu tinha certeza absoluta que ele tava tirando uma com a minha cara, mas tava achando muito tosco porque não tinha como errar quem era a alice. tava óbvio demais. só que a coisa piorou quando ele apontou pra um menino do outro lado da tela e disse que, na verdade, aquele era a alice (!). eu dei risada, achei que fosse piada, mas ele continuou sério. eu fiquei sem entender o motivo pra ele estar tentando me enganar de uma forma tão bobinha e obviamente fiquei esperando ele falar “hahaha brincadeira, claro que você acertou quem era a alice”, mas esse momento não veio. fui pra casa encucada com essa história, tentando encontrar uma explicação pro comportamento esquisito do boy.

no dia seguinte tudo se esclareceu. a gente descobriu que, na verdade, ele tava realmente acreditando que a alice era o menino. isso porque a mãe dele, sem óculos, por alguma razão que até hoje eu não entendi, achou mesmo que a alice fosse o menino. aí falou pra ele “olha a alice aqui” e ele, o rei do foco e da atenção, não viu mais criança nenhuma, muito menos a própria sobrinha, apenas o menino desconhecido que tava vestido de camisa xadrez, calça jeans, chapéu de palha e bigodinho. e a alice lá, maravilhosa, de vestidinho vermelho cheio de lacinho, dançando do outro lado da imagem.

não sei qual dos dois é mais O Meu Nenê™

inclusive rolou um diálogo mais ou menos assim entre o boy e a mãe dele:

- leo, olha a alice dançando na escolinha, ela é esse aqui!
- nossa mãe, mas por que ela tá vestida de menino? 
- ah, não sei, às vezes foi a professora que pediu. pra ficar diferente, né? vai saber
- mas por que a menina tá usando um chapéu de palha tão grande desse jeito, dá nem pra ver o rosto direito...
- ah aí eu não sei também, não entendi bem a roupa ¯\_(ツ)_/¯

daí ele disse que, já que a mãe dele falou, ele acreditou e pronto. e ainda saiu espalhando informação errada! e assim nasceram as fake news...

_________

só pra ficar tudo muito bem esclarecido: se ela realmente tivesse de menino não teria problema algum, tá? só não era o esperado naquele contexto.  

sábado, 30 de junho de 2018

livrinhos de junho

pra acompanhar os posts anteriores, é só clicar aqui 😄

◇ ◇ ◇

A longa viagem a um pequeno planeta hostil - Becky Chambers (2015)



✩ favorito do mês! ✩
eu não vou me estender muito porque já falei dele aqui, mas não canso de repetir o quanto eu amei essa preciosidade em forma de livrinho. eu realmente recomendo demaisss! fico muito feliz por ter tido a oportunidade de conhecer essas personagens maravilhosas <3


A livraria dos finais felizes - Katarina Bivald (2013)


saí de um livro incrível, que me deixou triste por ter acabado, e entrei nesse aqui que eu só não abandonei logo no início porque fiquei curiosa pra entender o que tava rolando na história. aí eu me envolvi e perdi a vontade de abandonar, mas continuei achando a leitura arrastada. até que cheguei na metade do livro e tava gostando tanto que não queria mais parar de ler!! :D a personagem principal é uma sueca sem muito traquejo social que é a maluca dos livros e acaba indo parar numa mini cidade no interior dos estados unidos. daí a vida das pessoas dessa cidadezinha se transformam com a chegada dela e acontecem várias coisas legais e meio malucas hehe é bem fofinho! o livro não é nada extraordinário, mas no fim das contas até que eu gostei bastante. digamos que essa leitura tenha me rendido momentos bons :)


E não sobrou nenhum - Agatha Christie (1939)


uma das minhas metas de vida é ler todos os livros da agatha christie ^^ aliás, boatos de que esse é o melhor de todos, né? bom, não foi o meu preferido (esse posto ainda é do assassinato no expresso do oriente), mas eu entendo porque as pessoas dizem que esse é o número 01. é um baita de um mistério muito louco que te deixa com vontade de ler sem parar até tudo finalmente se esclarecer, é bem legal mesmo. é uma leitura rápida e bem ~instigante~, dá pra terminar em um dia só se você tiver bastante tempo livre hehe ah, eu mudei de ideia em relação ao assassino umas 938x ao longo do livro, mas meu primeiro palpite tava certo ;)


Dom Casmurro - Machado de Assis (1899)


dom casmurro e memórias póstumas são dois livros que eu acho que, de tempos em tempos, é importante a gente reler. essa é a minha segunda vez acompanhando essa narrativa do bentinho e o que eu posso dizer é: a experiência da releitura foi MUITO diferente! primeiro porque quando eu li pela primeira vez eu era bem mais nova, segundo porque agora que eu até já estudei o livro na faculdade eu enxergo a coisa com outros olhos. o machado, gente. os livros do cara podem ser chatíssimos, não julgo quem pensa isso (até porque eu concordo), mas SÃO INCRÍVEIS!!!! que construção absurda de maravilhosa a dessa narrativa!!!!!!! só cai no conto de bento santiago quem lê sem prestar atenção nos sinais. o cara dá a entender O TEMPO TODO que ele não é um narrador confiável, que é ciumento sem necessidade, que vive inventando história na cabeça... sabe??? pelo amor de deus. que mané tribunal pra julgar capitu culpada o que, eu hein. na minha opinião, capitu num traiu não, mas bem que devia ;) 


O restaurante no fim do universo - Douglas Adams (1980)



a primeira coisa que eu tenho pra dizer sobre esse livro é: mano do céu que capa horrorosa!!!!! quase que nem dá vontade de ler de tão feia que é, credo hahah bom, o livro é legal, mas não tanto quanto o guia dos mochileiros. acontece muita coisa maluca o tempo todo e eu me perdi algumas vezes, sem contar que alguns pedaços me deram um pouquinho de preguiça, mas algumas das cenas foram bem show de bola :) fiquei com a impressão de que eu aproveitaria mais caso tivesse lido esse logo em seguida do primeiro.. eu demorei pra entrar de novo nesse universo doido e isso atrapalhou um pouquinho a experiência. mas ainda assim foi bom, eu gostei e terminei com uma mini vontadinha de ler o próximo (porém já meio ressabiada pois boatos de que a qualidade vai caindo de livro pra livro nessa série hahaha)

◇ ◇ ◇

em números, resumão do mês:

 livros terminados 5 x 0 livros abandonados

 literatura brasileira 1 x 4 literatura estrangeira (1 dos eua, 1 da suécia e 2 da inglaterra)

 livros lidos no kindle 3 x 2 livros físicos

 autoras mulheres 3 x 2 autores homens

 releituras 1 x 4 livros novos

sábado, 9 de junho de 2018

a viagem é longa, mas é maravilhosa

comecei o mês de junho, o meu mês, o melhor mês do ano, com uma leitura incrível: a longa viagem a um pequeno planeta hostil, da becky chambers.




antes de mais nada, OLHEM ESSA CAPA. gente do céu, esse livro é a coisa mais linda do mundo!!!! a gente já sabe que a darkside tá sempre de parabéns pelas edições maravilhosas, mas ainda assim eu me surpreendo quando tô com um exemplar bonitão desses em mãos. capa dura, BRILHO, folha amarelada pra gente não ficar com dor na vista... eu amo essa editora <3

eu não sabia muito sobre a história, mas me interessei pelo livro porque:
1) a capa é maravilhosa
2) eu achei esse título muito bom
3) ficção científica contemporânea escrita por uma mulher

daí aproveitei uma promoção e comprei feliz da vida, sabendo que mesmo se eu não gostasse tanto assim do livro ele ainda seria uma das coisinhas mais bonitas da minha estante. só que, pra minha alegria, ELE SE TORNOU UM DOS MELHORES LIVROS QUE EU LI ESSE ANO. yay! 😄

a história se passa no futuro, depois de os seres humanos se verem forçados a sair da terra e desbravar o espaço. uma parte se fixou em marte, outra parte viaja pelo universo. nessa brincadeira, os humanos descobriram a existência de diversos planeta habitados e habitáveis, além de muitas outras espécies zilhões de vezes mais desenvolvidas do que nós. as personagens principais do livro fazem parte de uma tripulação mista, formada por pessoas de várias espécies (eles chamam de pessoa ou de ser sapiente), que viajam pelo espaço abrindo túneis. e elas são incríveis e maravilhosas e eu amo todas. <3

a vibe é meio star wars, sabe? viagens interplanetárias, várias espécies convivendo mais ou menos em harmonia, umas tretas aqui e ali, jogo político, disputa de poder... mas a diferença aqui é que, pelo menos pra mim, esse livro é mais sobre as personagens em si do que sobre uma sequência de ações, por assim dizer. é claro que existe uma história principal (a tal longa viagem ao tal pequeno planeta hostil), além de várias paralelas dentro dessa, mas eu acredito que o ponto forte do livro são as personagens muito bem construídas.

é por meio delas e das suas trajetórias que a autora discute várias questões importantíssimas e bem atuais, tipo: gênero, sexualidade, racismo, amor, família, amizade, respeito, diferenças culturais, ética, etc etc etc.


então ao mesmo tempo em que a gente vai acompanhando a viagem dessa tripulação, o dia a dia delas dentro da nave, as pausas que elas fazem nos portos pra reabastecer e comprar suprimentos e os problemas que podem existir quando elas encontram com outras naves pelo caminho, a gente também acompanha os conflitos pessoais de cada um deles. e isso é incrível! digamos que o livro seja composto por várias cenas que poderiam existir isoladas, elas não são necessariamente consequência uma da outra, mas é uma delícia de acompanhar tudo o que acontece.

eu entendo que quem prefere algo com mais ação pode ficar com uma preguicinha dessa leitura, mas eu amei tudo do começo ao fim. e também acho que o público ideal do livro são os adolescentes, por causa das questões que são discutidas, mas no alto da minha jovem adultice eu amei real oficial. :)

achei incrível conhecer essas espécies novas e ver as diferenças entre elas e os seres humanos (que, por sinal, têm pouquíssimo poder dentro da história), deu vontade de morar nesse universo. eu fiquei triste de verdade quando acabou, porque eu não queria me desvencilhar de nada daquilo. esse é o livro perfeito pra se escrever fanfics a respeito!!!! aliás, ainda existe os fanfiqueiro por aí? se sim, escrevam sobre esse livro!!!! eu preciso ler mais sobre essas pessoas e essa comunidade galáctica!!!!

vou terminar dizendo que, depois de muito tempo tentando me decidir, eu acho que meus personagens preferidos são, em ordem de preferência, o jenks, a sissix e o dr. chefe. você aí que já leu, me diz quem você mais amou do fundo do seu coraçãozinho :D

leiam esse livro, pelo bem de vocês.

quinta-feira, 7 de junho de 2018

07 anos de pura resiliência

a nina é a melhor criança que eu já conheci. tá no top 10 pessoas que eu mais amo no mundo. e ela me ensina tanto, mas tanto, que nem parece que a professora sou eu. 

a gente sempre tem umas conversas maravilhosas. às vezes eu esqueço que ela é tão pequena, de tão inteligente e madura que a bichinha é - só pra vocês terem uma noção, ela tá no segundo ano do ensino fundamental, o equivalente à antiga primeira série, e já tá estudando comparativo e superlativo nas nossas aulas de inglês porque ela avançou mais de três anos em relação ao conteúdo da escola. 

mas ela ainda tem sete anos de idade, né? é uma nenê, praticamente. <3

e, além da escola regular (das 07h às 16h) e do curso de inglês, ela ainda faz aula de piano, informática, coreano (aos sábados) e ensino religioso (na igreja coreana, aos domingos de manhã!). antes tinha natação e taekwondo aí no meio também, mas a vida da ninoca tá meio sem esportes ultimamente.

daí que essa semana ela tava reclamando sobre ter que fazer muita lição e rolou o seguinte diálogo:

- eu odeio a escola coreana!
- sério que você não gosta?
- é muito chato! eu tenho que ir todo ano, todo mês, toda semana!!! 😠
- então por que você faz? seus pais te obrigam?
- não 😦
- mas eles sabem que você não gosta?
- sabem, a mamãe até me perguntou se eu queria parar no próximo semestre...
- e você falou o que?
- que não quero 😅
- e por que não???? você acabou de dizer que odeia!
- é, mas eu quero ir pra coreia algum dia e vou precisar falar coreano, né?
- bom, olhando por esse lado...
- é muito chato, mas a gente acostuma, né? 
- ah isso é verdade, a gente se acostuma com tudo nessa vida...
- eu não gosto, mas é importante fazer, então eu faço.

MANO. DO. CÉU.

eu só concordei e sorri, meio abobalhada, pensando na minha sorte em ter cruzado o caminho dessa criança. gente, sério. vocês não ficam chocados de saber que esse tiquinho de gente tem tamanha inteligência emocional?

essa menina virou minha inspiração pra vida inteira. sem contar que ela não se incomoda em errar, dá risada quando isso acontece e tem uma autoconfiança gigantesca. se algum dia eu for metade do que ela é, pra mim já tá bom.

quarta-feira, 30 de maio de 2018

livrinhos de maio

pra acompanhar os posts anteriores, é só clicar aqui 😄

◇ ◇ ◇

Americanah - Chimamanda Ngozi Adichie (2013)


favorito do mês!
abril terminou, mas eu não consegui me desvencilhar totalmente das leituras daquele mês maravilhoso. então pra continuar na mesma vibe dos meus queridíssimos beloved e the hate u give, eu resolvi que tava na hora de ler esse livraço da chimamanda :D eu sabia que o livro era sobre uma africana que ia pros estados unidos e lá é que ela se descobria como negra (já que raça é uma questão bem central naquele país), mas ele também fala sobre pertencimento, identidade e amor. eu fiquei tão empolgada lendo esse romance e senti tanta vontade de virar amiga da personagem principal e fiquei tão "pita que pariu literatura é a melhor coisa do mundo" que me deu vontade de chorar pensando nisso, olha só que coisa doida. quero ler todos os livros da chimamanda, a prosa dessa mulher é incrível! recomendo muito a leitura <3  


O diário de Anne Frank - Anne Frank (1947) [versão em quadrinhos roteirizada por Ari Folman e ilustrada por David Polonsky - publicado em 2017]


tá, pra começo de conversa: eu nunca li a versão "regular" do diário, então pode ser que eu vou me equivocar 100% no que vou falar aqui, mas a impressão que me deu é que eu teria aproveitado muito melhor os quadrinhos caso tivesse lido o livro "normal" do diário antes. assim.. os desenhos são incríveis, eu gostei muito das ilustrações! mas parece que a história em si tava meio "picotada" demais. no final do livro tem um apêndice do roteirista falando que eles tiveram que fazer uns cortes por ser uma história em quadrinhos, mas parece que as coisas não tinham muita ligação uma com a outra, mesmo dentro da mesma entrada no diário.. não sei nem se o que eu tô falando tá fazendo sentido, dsclp gente hahaha mas é aquilo: se você ama anne frank, vale a pena comprar esse. se você ama quadrinhos, também vale a pena comprar esse. mas se você não faz questão nem de um nem de outro, segue o baile existem outros livros ;) 


Fire on the mountain - Terry Bisson (1988)


último dos livros obrigatórios pra minha matéria de literatura canônica americana, YAY! esse romance, gente. o que dizer sobre ele???? veja bem: é uma ficção científica que trata de viagens pra marte e, ao mesmo tempo, fala da guerra abolicionista dos eua lá em 1850 e pouco. OLHA SÓ QUE COISA DOIDA. e o livro mistura presente e passado, primeira e terceira pessoa, narração normal e carta... SABE? precisa de muita concentração pra entender realmente o que tá acontecendo e quem é que tá falando. e pra me deixar ainda mais perdida, além do fato de eu não ter nenhum conhecimento prévio sobre a parte histórica abordada no livro, ele ainda tava em inglês hahahahha esse é um livro que exige bastante do leitor, mas vale a pena se você se interessar em ver como poderia ter sido a história americana caso o abolicionista john brown não tivesse fracassado. pesquisei rapidinho e não encontrei edição em português, então esse aqui é só pra quem tiver um conhecimento bem legal de língua inglesa mesmo.


A revolução dos bichos - George Orwell (1945)


esse eu já tinha lido há alguns anos, mas senti que tava na hora de reler e: QUE LIVRO, meus amigos!!!!! é como se fosse uma fábula, então a narrativa é até bem simples, não tem nada muito complicado de entender, as metáforas são ótimas etc etc. mas o que me faz gostar tanto dele é que, conforme a gente vai lendo e as personagens vão "se transformando", a gente vai tendo consciência do que tá acontecendo nessa história (e do que aconteceu na história real, que inspirou o autor a escrever) e aí vai brotando uma raiva no nosso coraçãozinho que só por deus hahaha esse livro devia ser leitura obrigatória pra absolutamente todas as pessoas do mundo, ele é importantíssimo!!!! e quando eu li aquele trechinho que diz que "todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais que outros" eu senti que uma facada teria doído menos, sinceramente! se você nunca leu, LEIA! e se você já leu, RELEIA!!! ;)


Órfãos do Eldorado - Milton Hatoum (2008)


depois de ler "dois irmãos", eu criei muita expectativa em cima do hatoum. peguei esse pra ler com um mix de sentimentos: metade de mim tava com um pé atrás, por ter medo de me decepcionar, e a outra metade tava ansiosíssima pra ter outra experiência incrível. daí que eu me decepcionei um pouco, porque eu achei essa história chata. mas a escrita dele é uma delícia, então mesmo achando meio blé eu li em dois dias :) o problema é que eu fiquei com a sensação de que a história poderia ter sido muito melhor se a gente tivesse acompanhando sob outra perspectiva.. ah, também achei que esse livro é bem parecido com "o amor nos tempos do cólera", do garcía márquez, então se você gostou de um pode ser que você goste do outro! 

◇ ◇ ◇

em números, resumão do mês:

 livros terminados 5 x 0 livros abandonados

 literatura brasileira 1 x 4 literatura estrangeira (1 da nigéria, 1 da alemanha, 1 dos eua e 1 da inglaterra)

 livros lidos no kindle 3 x 2 livros físicos

 autoras mulheres 2 x 3 autores homens

 releituras 1 x 4 livros novos

quinta-feira, 17 de maio de 2018

19. criança também é gente

eu dou aula de inglês, né. e não é em uma escola regular, então eu tenho alunos variadíssimos de 06 a 70 anos. como eu não recebi absolutamente nenhum tipo de treinamento pra saber como lidar com eles e as suas diferenças, tive que aprender no dia a dia mesmo, na cara e na coragem, o que funciona e o que não rola pra cada um desses alunos.

lembrando que eu não sou formada em pedagogia, nem faço licenciatura, o que significa que a faculdade me preparou 0% pra lidar com crianças. pois bem.

tem esse menino que eu dou aula, o pedro. ele tem 07 anos. ele é um dos alunos que mais dão trabalho lá na escola (só não digo que é o pior de todos porque tem uma pequenininha que faz tanto escândalo chorando que alguns alunos já trocaram de horário só pra não estarem lá no mesmo momento que ela, mas ele fica fácil em segundo lugar no ranking).

quando o pedro começou as aulas de inglês, as professoras da matemática e do português vieram avisar que ele era uma criança difícil. e, realmente, nas nossas primeiras aulas ele me tirava do sério com uma facilidade impressionante. até que eu descobri como contornar a situação e, de repente, sem precisar de muito esforço, nossa relação ficou ótima e ele passou a ser uma criança fofinha e maravilhosa que nem as outras.

"e qual é o segredo?", você me pergunta. pois eu te digo: é tratar o menino com educação e respeito, em vez de perder a linha. simples assim. :)

no dia em que ele me fez chegar no meu limite, eu botei a mãozinha na consciência e pensei "eu não vou me descontrolar com esse menino, ele só tem sete anos. tem muito adulto que me irrita tanto quanto e eu mantenho a pose, por que com ele tem que ser diferente? o bichinho é pequeno mas também é uma pessoa, né? se sou capaz de me controlar com adultos insuportáveis, por que não com as crianças?". e aí o pedro se transformou. ele passou de reclamão irritante pra um menino incrível.

nesse dia, quando ele começou a dar show, em vez de eu "responder a altura" e perder a linha, que é o que ele tá acostumado a ver, eu sentei do lado dele e perguntei por que ele tava sendo mal educado. o menino me olhou confuso e disse "eu não sabia que isso era ser mal educado". a gente conversou e pronto, ele parou de dar piti e passou a se comportar bem. ele aprendeu que, se ele colaborar comigo, eu também vou colaborar com ele. depois que eu expliquei que a nossa relação é uma troca, ele nunca mais foi mal educado nas aulas de inglês. pelo visto, até aquele momento, ninguém tinha se dado ao trabalho de simplesmente dialogar com o menino.

pedroca realmente não é das crianças mais "fáceis" do mundo, daquelas que você manda e desmanda e a criança apenas te obedece, sem questionar. ele é inteligente e faz questão de saber os motivos de tudo o que acontece. por que aquela lição, por que ele tem que fazer as coisas de um jeito e não de outro, por que por que por que. e ele bate o pé e reclama sempre que não quer fazer alguma coisa, mas é só falar com o menino normalmente, respeitando a pessoinha que ele é, que tudo se ajeita.

antes o pedro ficava de cara feia a aula inteira, contando os minutos pra acabar e poder ir embora. ele mal respondia quando a gente perguntava alguma coisa. agora a gente conversa, brinca, dá risada e ele faz a aula feliz, porque se sente confortável naquele ambiente em que ele é bem tratado. pedroca virou uma das minhas crianças preferidas. <3